Make your own free website on Tripod.com

história de igrejas

Ex-Convento de Santo António de Charnais-Merceana

Home
O Convento do Salvador em Lisboa e Casas Nobres de Azambuja e Alenquer
Os Telles (de Meneses) de Alenquer
A Antiga Igreja de NªSª das Virtudes, de Ventosa - Alenquer
Ota e a sua igreja do Divino Espírito Santo
A Ermida de Nª Sª da Redonda, de Alenquer
O Antigo Convento de Nª Sª da Conceição de Alenquer
A Vila de Ota e a Igreja do Espírito Santo
O Lugar de Arneiro e a sua Capela do Espírito Santo
As Antigas Igrejas de Santiago, de Alenquer e Palmela
O Pensamento de Nogueira, beirão guardense
igreja de Santa Catarina, de Alenquer
IGREJA DE S.PEDRO, DE ALENQUER
igreja de Santa Madalena-Aldeia Gavinha
Igreja de Santana da Carnota
Imaculada Conceição, Padroeira de Portugal
igreja-santuário de N.S.da Piedade, em Merceana-Alenquer
A Igreja de S. Bartolomeu,de Castanheira do Ribatejo
A Igreja do Espírito Santo, de Alenquer
igreja-basílica de Santa Quitéria, de Meca
O Convento de S. Jerónimo, do Mato
Pereiro de Palhacana e a História das duas Igrejas
A Capela de S. Roque, de Abrigada
O pelourinho e Igreja de N.S.Prazeres, de Aldeia Galega
Igreja de S. Sebastião, da Espiçandeira
Ruinas do antigo Convento de Montejunto
Vila Verde dos Francos e as ilustres famílias dos Noronhas e Albuquerques
Igreja Nª Sª dos Anjos, de Vila Verde dos Francos
A minha vida -cinco décadas de estudos
Favorite Links
Contact Me
Ex-Convento e Igreja de S.Francisco de Alenquer
Ex-Convento de Santo António de Charnais-Merceana

Enter subhead content here

 Ex-Convento de Santo António de Charnais - Merceana ( Alenquer )

 

 

    Este Convento dos Frades Franciscanos foi fundado no século XVII, portanto depois de 1600, e está hoje adaptado a lar e centro de dia da terceira idade. Este complexo conventual, compreende a Igreja, a Capela da Ordem Terceira e várias dependências e claustro do Convento.

    Há nele um conjunto importante de azulejos setecentistas, talvez o mais valioso, do ponto de vista histórico reportado à época dos monges franciscanos, que existe no concelho de Alenquer.

    As paredes interiores da Igreja são forradas com paineis de azulejos que ilustram histórias de milagres e outras cenas da vida dos Franciscanos. Do lado direito está o púlpito, obra em talha do século XVIII em cores azul e ouro. Desse mesmo lado estão os 3 confissionários dos frades, abertos, sem porta e forrados também no seu interior com azulejos. O altar-mór é em talha setecentista em cores verde e ouro , com colunas caneladas.

    A entrada da Igreja é antecedida por uma galilé alpendrada, estando à esquerda a Capela da Ordem Terceira, que merecia melhor estado de conservação que aquele que actualmente apresenta. Na parede,  à entrada desta Capela,  há uma lápide com a seguinte inscrição: Pertence à Ordem Terceira, F(feita ?) em Terreno O (ofertado ?) por João R. de Moura. Em nosso humilde entend ço do altar desta Capela está ricamente provido com 4 colecções de azulejos que retratam os seguintes acontecimentos de cenas místicas:

    1. S.Francisco de Assis salvando as almas do purgatório;

    2. S.Francisco dando a Regra a S.Lúcio e Santa Bona;

    3. S.Francisco entregando o cordão a Santa Clara;

    4. S.Francisco deixando a roupa eos pais perante o Bispo, de Assis.

S.Francisco nasceu em Assis, Itália, em 1182 e morreu com 44 anos, em 1226. Era filho de um rico comerciante de nome Pedro de Bernardone. O chamamento para a vida conventual e de entrega total aos pobres, levou Francisco a desprender-se de todos os seus bens e renunciar à herança que o pai lhe daria. Assim em determinado dia, numa reunião na praça da cidade e perante as autoridades e o povo e depois o bispo, Francisco entregou ao pai não só o dinheiro que tinha, mas também as suas roupas, confessando a escolha que fazia para a sua vida futura e disse: "Pai Nosso que estais nos Céus e não pai Pedro de Bernardone"; foi como se deve imaginar, um terrível golpe de separação do filho e pais, com todos os sofrimentos que daí advieram. O painel de azulejos que indicamos atrás com o nº 4, e que nessa Capela está, quer testemunhar este acontecimento histórico.

    S.Francisco de Assis não queria nada de bens materiais e de favores, e fundou a Ordem dos Frades Menores, pela total ausência de privilégios e por nunca ter querido ser sacerdote; penso mesmmo que nem os condiscípulos estavam autorizados a ler livros ou quaisquer folhetos. Santo António, de Lisboa, de nome Fernando de Bulhões, para os italianos, Santo António de Pádua, onde faleceu, nasceu em Lisboa em 1188 e faleceu em 1231, sendo um seguidor da Ordem de S.Francisco. Estudou em Santa Cruz de Coimbra e a sua inesgotável sabedoria levou-o à categoria de doutor da Igreja. É de crer que S.Francisco se tenha impressionado com a intelectual craveira teológica do seu condiscípulo e parece que a partir daí, autorizou os franciscanos a lerem livros religiosos. A história revela que Santo António assistiu em Assis à reunião do Capítulo Geral da Ordem Franciscana, com a presença do fundador da Ordem, S.Francisco. Hoje, as cidades de Assis e de Pádua, com as basílicas dedicadas a estes Santos, são pontos importantes de Itália que os católicos e peregrinos sempre desejam visitar.

    O painel de azulejos referenciado neste Apontamento com o nº 3, quererá significar com a entrega do cordão a Santa Clara, cinto das vestes franciscanas, o símbolo da pobreza e humildade no repeito com os desprotegidos. Clara de Assis, seguiu o ideal evangélico de S.Francisco e com 18 anos, num dia de Páscoa de 1212, foge de casa de seua pais, um palácio de nobres, e vai juntar-se a Francisco e a outros jovens de Assis que viviam com os pobres e leprosos numa igreja abandonada. Clara de Assis viveu 42 anos no Conento de S.Damião e com S.Francisco lutaram até à morte, com voto de pobreza renunciando a riquezas e privilégios.

    Hoje o Convento de Santo António de Charnais presta a função de Lar de Idosos e Centro de Dia da Misericórdia de Aldeia Galega da Merceana, utilizando dependências que há séculos atrás utilizaram os frades. Abriga 63 utentes no lar, 21 na valência de Centro de Dia e 20 são assistidos em apoio domiciliário. Nas paredes do Refeitório estão quadros e retratos que memorizam os feitos beneméritos de Pessoas Ilustres e de Bem Fazer, que com os seus gestos de caridade e de desempenho em funções na Misericórdia, ficam para sempre lembrados. São os casos dos Provedores António Alfredo Correia Lança, com o seu trabalho durante os anos de 1903 a 1913 e depois entre 1931 e 1938, tendo falecido em 1939, e o Senhor Comendador Graciano Franco Monteiro, da Quinta do Falou, Merceana. A Senhora Viscondessa da Merceana, foi uma ilustre benfeitora, cuja placa de 25/12/1934 o recorda (natal de 1934), e além de muitos outros que decerto contribuiram e ficaram anónimos, essa parede do Refeitório ostenta os nomes dos benfeitores António Simões Maia, da Merceana(1881); Joaquim Ferreira de Campos, da Merceana(1924);José d'Oliveira Neto, da Quinta da Boavista, Merceana(1931); António Rodrigues, do Paiol(1945); D. Rita Franco Vilela, dos Grandes Armazèns do Chiado(1947) e Isabel Maria Carneiro, de Lisboa(1953)

      Os utentes deste Lar, irão, no futuro, usufruir de instalações modernas, cujo edifício está já em fase adiantada de construção, junto ao Convento no lado sudeste. É uma obra que dignifica a Misericórdia de Aldeia Galega da Merceana e cujo montante ascende a 200.000 contos, com comparticipação do Centro Regional de Segurança Social de Lisboa e Vale do Tejo.

 

 Fontes: O Concelho de Alenquer dos Profs. António

                  Rodrigues Guapo; António de Oliveira Melo

                  e Padre José Eduardo Ferreira Martins

                                                                                               Carlos Nogueira

Enter supporting content here